E-Civil: Descomplicando a engenharia
Você está em: E-Civil » Artigos Técnicos

Moradia popular em kit metálico

Siderúrgicas nacionais já oferecem modelos de casas e pequenos edifícios com estrutura metálica para população de baixa renda.

A construção voltada para a habitação de interesse social obedece a critérios e exigências diferentes dos projetos imobiliários convencionais. Baixo custo e alta produtividade são características indispensáveis para viabilizar um projeto. Muitos modelos e sistemas construtivos surgiram na busca pela solução ideal. Recentemente, um novo material vem sendo adotado, no Brasil, como estrutura dessas habitações: o aço.

Grandes siderúrgicas entraram nesse mercado e estão produzindo kits para habitação popular. A Gerdau, a Usiminas e a Cosipa lançaram sistemas que visam, sobretudo, economia e rapidez de montagem. Os projetos variam de casas térreas a edifícios de até cinco pavimentos, todos com estruturas principal e de cobertura em aço. O fechamento depende da solução, mas podem ser utilizados painéis pré-moldados, blocos de concreto, tijolos cerâmicos furados ou maciços, assentados com argamassa tradicional.

De acordo com Carlos Johannpeter Gerdau, o custo do metro quadrado de uma casa com acabamento simples pode chegar a 125 reais; o de uma casa com forro de gesso, piso cerâmico em todas as dependências, azulejo na cozinha e banheiro e pintura látex fica um pouco mais caro, em torno de 250 reais. "O custo final vai depender do acabamento utilizado", afirma. O sistema é acompanhado por manual de montagem e dispensa mão-de-obra especializada. Essa solução foi empregada em um terreno de 20 mil m² na construção de 100 casas populares, na cidade de Itaguaí, Rio de Janeiro, resultado de uma parceria entre a Gerdau, a construtora T&M e a prefeitura.

Manual de montagem

Após a terraplenagem, locação da obra e disposição do gabarito no terreno, inicia-se a concretagem do radier, posicionando-se insertos metálicos para fixação dos pilares. As tubulações devem ser embutidas no solo de acordo com as especificações de cada fabricante. Após a secagem e cura do concreto, os pilares são parafusados nos insertos metálicos chumbados no radier, procedendo-se em seguida ao parafusamento de vigas à meia-altura nos topos dos pilares. Marca-se no radier as posições das portas e janelas, procede-se à elevação das paredes e colocação das esquadrias, de maneira convencional. Tirantes provisórios de contraventamento garantem a estabilidade da estrutura até a execução das alvenarias, e tirantes permanentes reforçam a estabilidade obtida com as vigas. Deve-se alinhar as paredes de fachada com as faces externas dos pilares metálicos, fazendo-se a amarração entre tijolos e pilares com o emprego de vergalhões. Os espaços deixados entre os pilares metálicos e as alvenarias podem ser preenchidos com argamassa, contida por fôrmas laterais de madeira.

Com a estrutura principal montada inicia-se a colocação das vigas de cobertura e das telhas, a partir dos beirais de cada um dos lados da cobertura. As telhas podem ser do tipo romana, paulistinha ou similar. Com a estrutura, cobertura e vedação prontas, parte-se para o acabamento, que varia de acordo com a escolha do proprietário. As peças sanitárias são instaladas após a execução dos acabamentos.

Instalações e acabamentos

Sob o telhado há espaço para um reservatório com capacidade para 500 litros. As instalações hidráulicas e elétricas devem ser feitas de maneira convencional, embutidas nas paredes de alvenaria. Para melhor conforto térmico e acústico recomenda-se a instalação de forro, que pode ser de madeira, gesso ou PVC, sempre com peso inferior a 10 kg/m2. Na região do banheiro o piso deve ser rebaixado para escoamento da água, impermeabilizando-se os pisos do banheiro e da cozinha. O piso externo do contorno da casa deve resultar abaixo do piso interno, para evitar a passagem da água da chuva sob as portas externas.

Cosipa – prédios de 4 pavimentos com 4 unidades de 40 m² / andar

A Cosipa desenvolveu dois projetos de edifícios de 827 m² para habitação popular, com estrutura e escadas em aço e tipos variados de fechamentos, lajes e divisórias internas. Cada edifício possui térreo e três pavimentos com quatro unidades de 40 m² por andar. Cada unidade é composta de dois dormitórios. A solução semi-industrializada apresenta fechamento e divisórias em blocos e lajes maciças de concreto. A solução industrializada mostra fechamento em painéis de concreto pré-moldado, divisórias internas em gesso acartonado e lajes steel deck.

Modelo semi-industrializado

  • Fundações: varia de acordo com o terreno. O levantamento de custos (ver quadro) toma como parâmetro um modelo executado com estacas pré- moldadas, blocos e baldrames em concreto armado ;
  • Estrutura: pilares e vigas em perfis de chapa dobrada, seção do tipo caixão. Contraventamento em perfis tubulares. Toda a estrutura utiliza o aço COS CIVIL 300
  • Escadas: escadas estruturadas em aço, com acabamento em pintura. Os degraus e patamares são preenchidos com concreto
  • Lajes: concreto moldado in loco, com fôrmas metálicas reaproveitáveis
  • Paredes: blocos de concreto nas paredes externas e internas
  • Tempo estimado de execução: 120 dias

Modelo industrializado

  • Estrutura: perfis soldados, para vencer vãos maiores
  • Lajes: steel deck
  • Fechamento externo: painéis pré-moldados de concreto
  • Divisórias internas: gesso acartonado
  • Tempo estimado de execução: 100 dias

Custos de execução de um prédio de quatro pavimentos pelo sistema de mutirão com instalações elétricas/hidráulicas e acabamentos contratados (sistema semi-industrializado):

  • Serviços diversos: 15 mil reais
  • Fundações: 23 mil reais
  • Estrutura metálica principal/escada: 52 mil reais
  • Lajes/contrapiso térreo: 30 mil reais
  • Instalações/acabamentos: 131,20 mil reais
  • Total para um edifício: 251,20 mil reais
  • Custo por apartamento: 15,7 mil reais

(Valores apurados em agosto de 1998)

Usiteto Usiminas – casas de até 45 m² e edifícios com até 5 pavimentos

A siderúrgica fornece as chapas e perfis para a construção das residências. "É importante ficar claro que a empresa não vende os produtos prontos. A construtora compra nosso aço e monta as habitações", explica Marcelo dos Santos Mendonça Figueiredo, engenheiro de desenvolvimento da Usiminas. O preço levantado no mercado para uma casa acabada de 36 m² é de 8,5 mil reais; para um apartamento é de 12 mil reais e o preço isolado do kit metálico da casa térrea é de 1,45 mil reais. Acompanha manual de montagem e, em caso de danos, as peças podem ser repostas. "As ligações são todas parafusadas e padronizadas, e o próprio proprietário pode efetuar a montagem." Não há necessidade de ferramentas especiais.

Manual de montagem

A montagem de uma casa de 36 m² segue processo semelhante ao da casa da Gerdau:

A fundação, estrutura principal e de cobertura metálicas, paredes, telhado e acabamentos, de acordo com a escolha do proprietário. A diferença é que o sistema Usiteto permite a montagem da casa em módulos: o 1o módulo possui quarto, cozinha e banheiro. A 1a expansão acrescenta uma sala, e a 2a um outro quarto. A construtora mineira Pórtico, que constrói casas populares com esse sistema construtivo, divulga em seu site os custos de cada módulo (ver quadro).

Ficha técnica

  • Projeto: edifícios com quatro ou cinco pavimentos com três a quatro unidades de dois ou três dormitórios por andar. Casas térreas com 36, 42 e 45 m², de dois a três quartos com possibilidades de ampliação.
  • Sistema: fornecimento de pilares e vigas, engradamento metálico para cobertura de casas e edifícios em aço USI-SAC ou COS-AR-COR, protegido com pintura contra a corrosão. O kit da casa de 36 m² possui 540 kg de aço, em chapas dobradas a frio com 2 mm de espessura.
  • Terreno para implantação: nivelado
  • Fundação: radier ou vigas baldrame
  • Fechamento: podem ser utilizados painéis e alvenarias de blocos ou tijolos
  • Cobertura: telhas cerâmicas
  • Fundação e engradamento metálico – módulo 1: 1,707 mil reais
  • Acabamento e instalações: 4,047 mil reais
  • Subtotal: 5,754 mil reais
  • BDI: 1,351 mil reais
  • Total: 7,105 mil reais
  • Custo/m²: 197,38 reais
  • Custo/m²: 23,58 reais
  • Custo unitário 2a expansão – módulo 3: 670,56 reais
  • Custo/m²: 18,63 reais
  • Custo total casa de 36 m²: 8,625 mil reais
  • (Valores apurados em agosto de 2001)
Reportagem revista Téchne / setembro de 2001, nº54

Comentários

Venda de 19 hectares
Boa noite. Tenho 19 hectares para vender no jardim Varginha (zona Sul de São Paulo). Tenho ótimos conhecimentos com sub-prefeituras que são responsáveis por assinaturas de projetos em areas a princípio manaciais. Favor se possivel entrar em contato para que eu possa esclarecer mais sobre o terreno. Att. Sheila Prates Sócia Diretora www.facilityrh.com.br

Comentado por Sheila Prtaes em 2011-09-26 20:42:59

construção de residência
Gostaria de entrar em contato para conversar sobre projeto de minha residência. Sou arquiteta e procuro soluções inovadoras e baratas. Vocês constroem ? Obrigada.

Comentado por maria celina campos machado em 2011-09-04 19:05:54

casa premodada da gerdau
tenho pretenção de adiqueri um kit metalico de casa popular de tres quartos para montar na região de gravata pernambuco gostaria de adequirir sugestões de progetos e preços e quem devo procurar no estado de pernambuco para comprar o kit escolhido ,sem mais araujo aguardo resposta de Vs.

Comentado por JOÃO DE ARAUJO PEREIRA em 2011-09-02 19:53:13

duvida
como é, é pra comprar o material e fazer a casaa....

Comentado por leandro em 2011-08-30 09:00:38

Deixe o seu comentário!


(não será publicado)



Pesquisar
Últimas do Fórum
Livros recomendados